Semana em 1 Minuto Fechar

Semana em 1 Minuto #95: STF pode libertar Lula, Plano Mais Brasil, Pré-Sal, IPCA, e mais!

8 de novembro de 2019 PatrimonoPatrimono

Se você preferir, pode ouvir este resumo em áudio aqui:

Além disso, você pode ouvir o Semana em 1 Minuto no seu leitor de podcast favorito!

STF pode libertar Lula, Plano Mais Brasil, Pré-Sal, IPCA, e mais. Confira abaixo essas e outras notícias da semana:


Supremo decide libertar ex-presidente Lula –
No campo político no Brasil, o plenário Supremo acabou com a prisão automática de condenados em segunda instância. A decisão vai permitir a liberdade ao ex-presidente Lula e de outros condenados na Lava Jato.

Enquanto isso, o processo do ex-presidente Lula está no STJ aguardando julgamento de recurso para decidirem sobre a liberdade do petista, aplicando o novo entendimento do Supremo.

Medidas econômicas –
O governo apresentou uma nova fase de reformas denominada Plano mais Brasil, o objetivo é mudar a gestão das contas públicas nas três esferas de governo. O pacote de medidas inclui a reforma administrativa, reformulando as carreiras do serviço público, aperfeiçoamento do teto constitucional de gastos e maior flexibilidade na gestão dos orçamentos.

A previsão é de que 25% da economia obtida com as medidas seja direcionada a projetos de infraestrutura. O governo prevê a geração de R$50 bilhões.

CVM lança “cadastro negativo” do mercado –
A Comissão de Valores Mobiliários lançou uma lista de pessoas e empresas impedidas de atuar no mercado de capitais. Disponível no site da CVM, com o objetivo de facilitar o acesso à informação ao público em geral, esse “cadastro negativo” já tem 156 nomes.

Cerca de 66% dos casos se referem a penalidades temporárias, tais como uso de informações privilegiadas e operações fraudulentas. A lista ainda inclui 15 pessoas ou instituições sem autorização para atuar no mercado, mas que vinham fazendo isso de forma irregular.

Ata do Copom mostra cautela com a condução da política monetária –
A ata do COPOM divulgada nesta semana trouxe um tom bastante cauteloso com possíveis novos cortes a partir de uma Selic em 4,50%, reforçando que as características do atual ciclo econômico podem afetar a sensibilidade de variáveis macroeconômicas de uma forma ainda não totalmente conhecida.

No documento, o comitê pontua que a inflação se comportará de forma benigna, mas destaca algum risco para os preços administrados. Além disso, o comitê ressalta que suas projeções de inflação para 2021 estão “ligeiramente” abaixo da meta, revelando alguma preocupação, e voltou a destacar a necessidade do avanço das reformas para a consolidação da queda da taxa de juros, enfatizando que o atual ciclo econômico exige cautela na condução da política monetária.

Indústria cresce na minoria dos setores –
Dados do IBGE apontam que a indústria brasileira registrou o segundo mês consecutivo de crescimento em setembro, com alta de 0,3%. No entanto, os números ainda são puxados por poucos segmentos. Dos 26 setores analisados, apenas 11 apresentaram avanço.

Um dos principais motores por trás do aumento foi a indústria de veículos automotores, reboques e carrocerias, que reverteu a queda de 2,4% no mês anterior e registrou crescimento de 4,3% em setembro. Entre os setores com impacto positivo também se destacam móveis, confecção de vestuário e acessórios e produtos de metal.

Leilão do pré-sal arrecada abaixo do esperado –
O leilão de quatro áreas de pré-sal da Bacia de Santos pelo governo teve desempenho abaixo do esperado. A arrecadação total ficou em R$69,98 bilhões, abaixo dos cerca de R$100 bilhões estimados inicialmente. O leilão do campo de Búzios foi vencido pela Petrobras em parceria com empresas chinesas CNOOC e CNODC.

O consórcio pagará R$68,2 bilhões para poder explorar petróleo na área. A estatal brasileira também foi a única a fazer uma oferta para Itapu, com o percentual mínimo de petróleo estabelecido no edital, de 18,15%. Os campos de Atapu e Sépia não receberam ofertas.

Taxa de juros na China –
O banco central da China (PBoC) cortou a sua taxa de juros referencial com o objetivo de reduzir os custos de financiamento para as empresas, em um contexto da desaceleração econômica. Foi informado que a taxa de empréstimos de médio prazo (MLF) será reduzida de 3,3% para 3,25%.

Desde 2015 a China não reduzia a sua taxa de juros de referência, ferramenta utilizada para injetar liquidez no sistema bancário, influenciando a taxa preferencial de empréstimo (LPR).

IPCA de Outubro surpreende, mas índice sugere inflação nas mínimas históricas –
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado mensalmente pelo IBGE, apresentou expansão de 0,10% em outubro e surpreendeu levemente a expectativa de mercado coletada pela Bloomberg (+0,07%). No acumulado de 12 meses, o índice registrou alta de 2,54%. Apesar do resultado levemente acima das expectativas, a inflação brasileira continua em um patamar historicamente baixo e menor que a meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para 2019.

Estas foram as principais notícias desta semana.
Ótimo final de semana e até a próxima sexta!



Veja Também