Semana em 1 Minuto Fechar

Semana em 1 Minuto #86: Reforma da Previdência, Guerra Comercial, Brexit, IPCA de agosto, e mais!

6 de setembro de 2019 PatrimonoPatrimono

Se você preferir, pode ouvir este resumo em áudio aqui:

Além disso, você pode ouvir o Semana em 1 Minuto no seu leitor de podcast favorito!

Reforma da Previdência, Guerra Comercial, Brexit, IPCA de agosto, e mais. Confira abaixo essas e outras notícias da semana:

Reforma da previdência

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou o projeto de reforma da Previdência, que agora segue para o plenário do Senado. Além do projeto inicial com algumas alterações, foi aprovada uma proposta paralela que prevê aumento da arrecadação para compensar as perdas no projeto inicial.

Com a aprovação do texto principal mais a proposta de emenda paralela, a estimativa de economia é de R$1,3 trilhão em dez anos. A expectativa é que as mudanças nas regras de aposentadoria sejam votadas entre o fim de setembro e início de outubro.

Governo estuda redução das alíquotas do Imposto de Renda

O time de Economia já havia estabelecido que a faixa salarial mais alta – que atualmente paga até 27,5% de imposto sobre o salário – passaria a pagar até 25%. O plano agora é que os contribuintes das demais faixas sejam contemplados com ao menos uma pequena redução.

Para compensar a perda de arrecadação, o governo conta com ações como a limitação das deduções com despesas médicas no Imposto de Renda. 

Controle cambial argentino

Governo argentino anunciou medidas de controle de capitais na tentativa de conter a diminuição das reservas em moeda estrangeira. O Banco Central da Argentina estabeleceu limite de US$10.000 por mês para compras ou transferências ao exterior por pessoas físicas, por outro lado as empresas terão que pedir autorização do banco para compra de dólar destinado à poupança.

Outra medida anunciada foi o estabelecimento de prazos para os exportadores internalizarem dólares de operações de comércio exterior. Anúncio ocorre por conta da crise econômica na Argentina, que já solicitou postergação do pagamento de dívidas com o FMI e cuja moeda desvalorizou 25% no mês passado.

Guerra comercial

No último domingo (01), novas tarifas sobre produtos chineses importados pelos Estados Unidos entraram em vigor. Medida vale para mais de 3 mil categorias de produtos, incluindo bens alimentares e eletrodomésticos. Cerca de US$110 bilhões de produtos tiveram aplicação adicional de 15% em imposto.

Novas tarifas estão previstas para 15 de dezembro. Além disso, como forma de retaliação, a China anunciou tarifas de 5% a 10% sobre US$75 bilhões em produtos americanos, atingindo principalmente a soja e o petróleo dos EUA.

O Fundo Monetário Internacional (FMI), alertou recentemente que a economia chinesa e toda a economia global sofrerá consequências, colocando o crescimento econômico em risco.

Brexit é a principal preocupação em todos os mercados

O parlamento britânico aprovou medida que pode impedir o primeiro ministro, Boris Johnson de retirar o Reino Unido da União Europeia sem um acordo aprovado pelo Legislativo.

Em votação, os parlamentares aprovaram medida que os permite definir a ordem dos temas a serem votados. Além disso, o legislativo pretende votar outra medida obrigando o primeiro ministro a solicitar o adiamento do prazo previsto da saída do bloco, passando de 31 de outubro de 2019 para 31 de janeiro de 2020.

Boris, por sua vez, se opôs a medida proposta pelo Parlamento e ameaçou convocar novas eleições gerais, possivelmente em 14 de outubro, afirmando que o Legislativo não confia em seu governo.

Brasileiro gasta até 9% do orçamento com apps

Um estudo do app de serviços financeiros Guiabolso com mais de 215 mil pessoas mostrou que os gastos com aplicativos de transporte como Uber e Cabify responderam por 9,3% do orçamento médio do brasileiro em julho — o que significa uma média de R$156,34 no mês.

Já os apps de delivery de comida responderam por 7,2% dos gastos no período, o que corresponde a cerca de R$126,31 mensais. Os desembolsos com streaming são comparativamente menores — em julho, o brasileiro comprometeu cerca de 1,97% do orçamento com plataformas de música e 3,39% com serviços de filmes e séries. 

IPCA de agosto

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que mede a inflação oficial no país, desacelerou para 0,11% em agosto, abaixo da taxa de 0,19% registrada em julho. Em agosto de 2018, a taxa havia sido de -0,09%. No ano acumulado dos últimos 12 meses, a taxa foi a 3,43%. De janeiro a agosto, o índice acumula variação de 2,54%.

Estas foram as principais notícias desta semana.

Ótimo final de semana e até a próxima sexta!

Veja Também