Semana em 1 Minuto Fechar

Semana em 1 Minuto #65: Paulo Guedes e Maia assumem controle da Reforma da Previdência; Bolsa oscila bastante ao longo da semana; Projeção do PIB; e mais!

29 de março de 2019 PatrimonoPatrimono

Se você preferir, pode ouvir este resumo em áudio aqui:

Além disso, você pode ouvir o Semana em 1 Minuto no seu leitor de podcast favorito!

Paulo Guedes e Maia assumem controle da Reforma da Previdência; Bolsa oscila bastante ao longo da semana; Projeção do PIB; e mais. Confira abaixo essas e outras notícias da semana:

Política Brasil: Impasse entre Bolsonaro e Maia em destaque –
Brasília teve uma semana agitada. O presidente da República trocou farpas com o presidente da Câmara através da imprensa. É o tipo de discussão em que ambos sofrem, mas da qual Maia sai com uma vitória por pontos.

Afinal, com a articulação do Planalto enfrentando sérios problemas, cresce o Congresso, como se viu na aprovação de PEC para tornar obrigatório o pagamento de uma quantidade maior de emendas dos deputados e senadores. São R$7,3 bilhões de 2020 a 2022, segundo o IFI.

O impacto fiscal da crise ainda não é algo que torne impossível o ajuste necessário, mas a preocupação se justifica pelo impacto da confusão política na tramitação da reforma da previdência. Paulo Guedes compareceu ontem a audiência no Senado e afirmou que poderia abdicar do cargo se não encontrar apoio às suas propostas.

Entretanto, o Ministro afirmou que não recuará em face da primeira crise. Para completar, chegou-se a falar de substituição do ministro da Educação, o que foi negado pelo presidente no Twitter. Enquanto segue o clima de instabilidade, a Câmara aprovou projeto que ajuda o caixa de partidos políticos e deve avançar no Senado a PEC das emendas impositivas.

Destaques da sabatina de Paulo Guedes no Senado –
Complementando a instável semana no ambiente político, o Ministro da Economia Paulo Guedes afirmou em sua sabatina no Senado que apesar de estar disposto a insistir e não recuar diante das primeiras derrotas, não brigará para ficar no cargo se não tiver apoio para suas propostas.

O Ministro também admitiu que o Congresso pode tirar da reforma da Previdência as alterações propostas para o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e aposentadoria rural, pontos mais questionados por congressistas. Entretanto, o mesmo reiterou sua convicção sobre a aprovação da reforma em algum grau, mas também notou que é necessária a consistência na economia de R$1 trilhão.

Guedes afirmou que as taxas de juros poderiam ser reduzidas em até 2 pontos percentuais em um cenário de aprovação da reforma. Paulo Guedes também expressou descontentamento com críticas advindas da base aliada do governo e do PSL. Houve algumas tensões entre o Ministro e Senadores no evento que se queixaram de não ter interlocução com a autoridade econômica, ilustrado em uma discussão com a Senadora Katia Abreu (PDT-TO).

PIB será o mais baixo em 120 anos – 
Uma projeção do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) indica que o crescimento médio da economia brasileira deve ser de apenas 0,9% ao ano entre 2011 e 2020. Se tudo continuar como está, o PIB do país terá seu desempenho mais fraco em 120 anos — pior até do que o registrado na chamada “década perdida” dos anos 1980, quando o crescimento foi de 1,6% ao ano.

Segundo análise do Ibre/FGV, o desempenho fraco da economia reflete os sucessivos déficits nas contas públicas desde 2014 e dois anos seguidos de recessão em 2015 e 2016. 

Guedes e Maia decidem assumir comando da Previdência –
Segundo o Estadão, acordo envolve compromisso de Maia em colocar a reforma nos trilhos e de Guedes em receber parlamentares. Ambos decidiram não esperar aceno de Bolsonaro e pressioná-lo por uma postura mais ativa na construção de uma base de apoio para aprovar a agenda legislativa do governo.

Estas foram as principais notícias desta semana.

Ótimo final de semana e até a próxima sexta!

Veja Também