Semana em 1 Minuto Fechar

Semana em 1 Minuto #40: DataFolha e Ibope divulgam resultados de pesquisas; Ministro da Fazenda defende reforma da previdência ainda em 2018; Dólar atinge maior cotação no Plano Real; Banco Central Turco eleva taxa de juros; e mais!

14 de setembro de 2018 PatrimonoPatrimono

Se você preferir, pode ouvir este resumo em áudio aqui:

Além disso, você pode ouvir o Semana em 1 Minuto no seu leitor de podcast favorito. Basta procurar por “Patrimono” e assinar!

 

DataFolha e Ibope divulgam resultados de pesquisas; Ministro da Fazenda defende reforma da previdência ainda em 2018; Dólar atinge maior cotação no Plano Real; Banco Central Turco eleva taxa de juros; e mais. Confira abaixo essas e outras notícias da semana:

Política Brasil: Pesquisa eleitoral do DataFolha –
Publicada nesta semana, a pesquisa eleitoral do DataFolha mostrou que a comoção criada com o atentado de Bolsonaro não foi suficiente para inverter a trajetória de alta em sua rejeição, que até se intensificou (de 39% para 43%). Nas simulações de segundo turno, Bolsonaro perde para todos os candidatos, enquanto o crescimento de Ciro Gomes nas simulações do primeiro e segundo turno é notável.

No cenário espontâneo, a queda expressiva nas intenções de voto de Lula (de 20% para 9%) foi parcialmente compensada pelo crescimento de Fernando Haddad (de 0% para 4%) e pelas menções a “13”, “candidato do Lula” e “candidato do PT”, que somam 2%.

 

Já na pesquisa do Ibope, Bolsonaro melhora –
Bolsonaro aumentou em 4 p.p. as intenções de voto após atentando a sua pessoa, para 26%. Alckmin permaneceu em 9%, Marina caiu 3 pontos (9%), Ciro caiu 1 (11%) e Haddad cresceu 2 (8%). A rejeição de Bolsonaro caiu 3 pontos, para 41%. No segundo turno, empataria tecnicamente com Ciro, Marina e Alckmin, e teria uma distância maior apenas de Haddad (40% vs 36%).

O candidato apresentou melhora relativa em relação ao último levantamento, em que tinha rejeição maior e perderia em quase todos os cenários de segundo turno.

 

PT oficializa ontem Haddad como candidato –
Em carta, Lula oficializou Haddad como candidato do PT. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai julgar até o dia 17 o pedido de registro, e a partir de então Haddad passa a ter todos os direitos de candidato. Com apoio do PT e Lula, a expectativa é que o Haddad rapidamente suba nas pesquisas.

 

Ministro defende reforma da previdência ainda em 2018 –
Em reuniões com os times econômicos dos principais candidatos, Guardia, Ministro da Fazenda, e Goldfajn, Presidente do Banco Central, defendem reforma em 2018. A Previdência está no Congresso e pode ser aprovada logo após as eleições, em novembro e dezembro, desde que o presidente eleito em outubro esteja de acordo.
Qualquer avanço na previdência em 2018 seria muito bem recebido pelo mercado, mas é pouco provável que isso seja discutido antes do segundo turno

Risco Brasil dobra com indefinição eleitoral em 2018 –
O CDS (credit default swap, uma espécie de seguro contra calotes da dívida de países), que estava em 140 pontos em janeiro, está agora em 282 pontos. Entre os principais mercados emergentes, o país só está melhor que Argentina, cujo índice está na casa dos 700 pontos, e a Turquia, em torno de 500.

O risco país é como uma sobretaxa que se paga em relação aos títulos do Tesouro americano, considerados os papéis mais seguros. Quanto maior o risco, mais o investidor estrangeiro quer receber de juros para comprar os papéis daquele país.

indefinição do cenário eleitoral brasileiro é apontada como principal causa para a escalada do índice.

Número de investidores no Tesouro Direto bate recorde –
Em julho, foi registrado a maior entrada em um mês desde o início do programa, em 2002: 107 mil novos cadastros – e 27 mil acima do mês anterior. Os brasileiros também estão aplicando mais: foram 16 mil novos cadastros ativos contra 10 mil em junho.

Ao todo, já são mais de 2,3 milhões de cadastros no programa de compra e venda de títulos públicos, um aumento de 55,7% no último ano. Para Paulo Marques, gerente de relacionamento institucional do Tesouro, as incertezas tanto nos mercados exterior e interno levam as pessoas para aplicações menos arriscadas. Assim, elas caem na renda fixa, mesmo com juros em um patamar historicamente baixo.

BNDES vê potencial para investimentos de R$1 Tri no país até 2021 –
Um estudo feito pelo banco de fomento mapeando 20 setores da economia — sendo 12 na área industrial e 8 em infraestrutura — identificou perspectiva de investimentos de R$1,03 trilhão no Brasil pelos próximos três anos. O setor campeão em investimentos será o de petróleo e gás natural, com aporte de R$291,4 bilhões no período, média de R$72,8 bilhões/ano.

O setor de energia elétrica seria o segundo, com previsão de investimento de R$160,3 bilhões no total, ou R$40,1 bilhões por ano. Em seguida, telecomunicações, com um total de R$121 bilhões e média anual de R$30,2 bilhões.

Entre os setores pesquisados, apenas seis deverão registrar queda no investimento anual em relação a 2017, segundo o BNDES: papel e celulose, automotivo, aeroespacial, energia elétrica e mobilidade urbana.

Dólar tem maior cotação desde a criação do Plano Real –
A moeda americana fechou o dia em R$4,1998 – alta de 1,17%. Antes disso, o maior valor nominal havia sido atingido em 21 de janeiro de 2016, quando o dólar terminou o dia vendido a R$4,1720. O valor da moeda americana, no entanto, está longe do patamar de 2002 se feita a correção pela inflação brasileira e americana no período.

Na época, chegou a ser negociado na casa dos R$7. Segundo operadores de câmbio, a escalada do dólar acontece em meio a preocupações com as incertezas do cenário eleitoral brasileiro e a situação econômica na Argentina (o peso e o real estão entre as únicas moedas de emergentes que não recuam hoje ante a moeda norte-americana).

EUA e China: a disputa continua –
A China pediu à OMC que autorize sanções de US$7 bilhões por ano para os Estados Unidos. O ponto seria o descumprimento de uma decisão sobre as taxas de dumping, mas deve levar anos para ser resolvido. ​A disputa entre os dois países não tem mostrado sinais de arrefecimento, e mantem os mercados sob constante tensão.

Contudo, o Ministério do Comércio da China afirmou nesta quinta-feira que recebeu um convite dos Estados Unidos para retomar o diálogo sobre comércio. As discussões comerciais vêm no momento em que os EUA estavam preparados para implementar tarifas sobre 200 bilhões de dólares em importações chinesas. ​

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, afirmou a repórteres que a China recebeu bem o convite, e que os dois países estão discutindo os detalhes.

 

Banco Central Turco eleva a taxa de juros de 17,75% para 24% –
A elevação da taxa de juros teve um aumento de 6,25%, 2,75% acima da média de consenso de mercado, calculada pela Bloomberg de uma alta de 3,5%. A lira turca deu um salto acentuado com a notícia, se valorizando 5% acima do dólar americano a partir do fechamento de quarta-feira.

 

Estas foram as principais notícias desta semana.

Ótimo final de semana e até a próxima sexta!


Veja Também