Semana em 1 Minuto Fechar

Semana em 1 Minuto 36: Argentina sobe taxa de juros para 45%; Bolsa, câmbio e juros com maior volatilidade; Expectativas sobre a candidatura de Lula; e mais!

17 de agosto de 2018 PatrimonoPatrimono

Se você preferir, pode ouvir este resumo em áudio aqui:

Além disso, você pode ouvir o Semana em 1 Minuto no seu leitor de podcast favorito. Basta procurar por “Patrimono TV” e assinar!

Argentina sobe taxa de juros para 45%; Bolsa, câmbio e juros com maior volatilidade; Expectativas sobre a candidatura de Lula; e mais. Confira abaixo essas e outras notícias da semana:

 

Política Brasil: TSE quer respeitar prazos; MPE tenta acelerar rito –
O clima no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é de cautela em relação ao trâmite do pedido de registro do ex-presidente Lula e por enquanto a tese é de seguir os prazos previstos na lei. Com isso, são grandes as chances de Lula começar o horário eleitoral gratuito no rádio e na TV ainda como candidato. Aos interlocutores, o ministro Luís Roberto Barroso, que deve ser mantido na relatoria do caso, afirma que pretende atuar absolutamente dentro do protocolo.

No Supremo, há a expectativa da chegada de recurso do PT contra a eventual negativa da Corte Eleitoral, mas o ambiente está favorável para manter Lula fora da disputa eleitoral, com a maior celeridade possível. Enquanto isso, a procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, pediu ontem ao TSE que acelere o andamento do processo de impugnação da candidatura do Lula.

Na manifestação, o Ministério Público Eleitoral (MPE) sugeriu que o prazo para que o PT apresentasse sua contestação já começasse a ser contado a partir de ontem. Até agora, sete pedidos já foram protocolados no TSE para impedir que Lula dispute a eleição.

Milionários brasileiros somam R$ 1 trilhão em investimentos –
O montante, acumulado em mais de 112 mil contas da categoria private banking (que engloba investidores com no mínimo R$ 3 milhões em ativos), representa quase um terço do total aplicado pelos brasileiros no primeiro semestre: R$ 2,8 trilhões. O número de contas dessa categoria aumentou 4,2% nos seis primeiros meses de 2018.

A maior parte dos investimentos está em fundos, que somaram R$ 487,1 bilhões, um crescimento de 8% com relação ao ano passado. A previdência aberta, por sua vez, foi o modelo que mais cresceu: 10,3%, para R$ 106 bilhões. Os dados são da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

 

Lucro do BNDES cresce 178% no segundo trimestre, batendo R$ 2,6 bilhões –
Se somado ao trimestre anterior, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social registra lucro líquido de R$ 4,760 bilhões, alta de 253,9% em relação ao mesmo período de 2017. Para Dyogo Oliveira, presidente do banco de fomento, o resultado veio de uma “composição bastante salutar” entre a intermediação financeira e a área de participações em empresas.

 

Turquia no foco do mercado novamente –
A Lira Turca cai 5% nesta manhã, após declarações do secretário do Tesouro Americano afirmando que Washington está preparada para anunciar novas medidas contra a Turquia caso o pastor americano detido no país não seja liberado. O caso deve ser julgado no sábado em corte Turca.

Após o aumento das tensões comerciais e com preocupações com o crescimento, os metais abriram em queda hoje, no que está se provando ser a semana mais desafiadora do ano para o setor, mas as mineradoras se mantiveram relativamente estáveis após terem corrigido bem no começo da semana.

 

Argentina sobe taxa de juros para 45% –
A crise da Turquia e um escândalo de corrupção fizeram o peso argentino despencar (mais de 6% desde segunda-feira passada), o que provocou duas novas medidas do Banco Central da Argentina. A primeira foi a elevação da taxa de juros de 40% para 45% ao ano, e a segunda foi o anúncio de uma emissão menor na dívida de curto prazo. O FMI, que forneceu um empréstimo de US$50 bilhões no começo do ano, defendeu o movimento.

 

Petrobras considera não vender fatia da Braskem –
O novo CFO da Petrobras, Rafael Grisolia, disse em entrevista à Bloomberg que a companhia pode não vender sua participação na Braskem, que é vista como uma proteção contra variações nos preços do Petróleo. A Odebrecht, sócia majoritária da Petrobras no bloco de controle da Braskem, está negociando a venda de suas ações à LyondellBassell.

De fato, nos níveis atuais de preço de petróleo e com o programa de subsídios ao diesel, a empresa não necessita recorrer a adicionais vendas de ativos para atingir a sua meta de alavancagem.

 

Bolsa, câmbio e juros devem continuar operando com volatilidade –
Na esteira da incerteza eleitoral e no início da “temporada de boatos”, o mercado brasileiro deve passar por momentos de alta volatilidade, apesar do exterior fazer uma leitura positiva da reaproximação entre China e Estados Unidos. A semana que vem, por exemplo, deverá ser cheia de emoções com a sondagem nacional do Ibope e pesquisa CNT/MDA no dia 20, além do DataFolha no dia 22 de agosto.

 

Estas foram as principais notícias desta semana.

Ótimo final de semana e até a próxima sexta!

Veja Também