Semana em 1 Minuto #21: STF restringe foro para políticos, calote da Venezuela, dólar em alta e mais

4 de maio de 2018 PatrimonoPatrimono

Se você preferir, pode ouvir este resumo em áudio aqui:

Além disso, você pode ouvir a Semana em 1 Minuto no seu leitor de podcast favorito. Basta procurar por “Patrimono TV” e assinar!

STF restringe foro para políticos; calote da Venezuela; dólar em alta; e mais. Confira abaixo essas e outras notícias da semana:

STF restringe foro para políticos e Câmara reage

Na Câmara, Rodrigo Maia mandou instalar a comissão especial para analisar o mérito da PEC que restringe o foro privilegiado no Brasil.

O ato com a ordem foi assinado ontem, mesmo dia em que o STF decidiu restringir a prerrogativa de foro para parlamentares apenas para crimes cometidos no exercício do mandato e em função do cargo.

Pesquisa do Instituto Paraná traz Bolsonaro na liderança

Bolsonaro lidera corrida à presidência em cenário sem Lula, mostra pesquisa do Instituto Paraná. Bolsonaro tem 20,5%, Marina Silva, 12%, Joaquim Barbosa 11%, Ciro Gomes 9,7%, Geraldo Alckmin 8,1%, Álvaro Dias 5,9%.

Cristovam formulará plano para Alckmin

Segundo o Estadão, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) aceitou convite de Geraldo Alckmin, para integrar a equipe que vai formular o plano de governo para a educação.

Ministro da área na primeira gestão de Lula e candidato à Presidência em 2006 pelo PDT, Cristovam já tem uma proposta para a campanha de Alckmin: a federalização do ensino municipal. A segunda proposta é criar um programa federal para formar gestores e diretores de escolas públicas.

Governo paga R$ 2 bi em emendas antes da eleição

O governo do presidente Michel Temer acelerou o pagamento de emendas parlamentares neste início de ano. Nos primeiros quatro meses de 2018, já foram pagos quase R$ 2 bilhões em emendas individuais, valor bem acima dos R$ 615,64 milhões liberados no mesmo período do ano passado.

A execução dessas emendas ganha ainda mais importância em ano eleitoral, quando os parlamentares querem mostrar realizações às bases inaugurando obras e fazendo repasses a programas sociais para tentar garantir a reeleição.

Novo presidente terá o pior caixa em mais de 20 anos

Com o teto de gastos, o próximo mandatário terá a menor margem para despesas em relação ao PIB desde 1997.

Uma estimativa do PLDO (Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentais) aponta que as despesas não obrigatórias, formadas por investimentos e gastos com custeio da máquina pública, representarão 3,09% da atividade econômica de 2019.

Calote de Venezuela e Moçambique ameaça financiamento a exportações

Em entrevista ao jornal O Globo, o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, afirmou que caso o governo não consiga autorização do Congresso para reforçar o Fundo de Garantia à Exportação (FGE) até o dia 8 de maio e cobrir o calote, o banco ficará impedido de aceitar qualquer operação feita por meio do FGE.

“Enquanto o Fundo ficar inadimplente, o banco suspende as operações”, explicou Oliveira, acrescentando: “O risco é o FGE paralisar. Aí, as nossas exportações vão sofrer enormemente”. Segundo dados do banco, isso afetaria operações num total que varia de US$ 500 milhões a US$ 1,5 bilhão

União vai vender 276 mil imóveis

O governo vai vender a participação minoritária que detém em 276 mil imóveis residenciais, comerciais e industriais para reforçar o caixa da União. A previsão é arrecadar R$ 9,3 bilhões. Para o governo, a venda significa não apenas arrecadação extra nos cofres do Tesouro Nacional como redução dos gastos com cobranças.

Mercado brasileiro sofre correção com releitura da decisão do Fed

Mundo afora, os mercados não gostaram do tom dócil da decisão do comitê de política monetária do Federal Reserve, que manteve a taxa básica-alvo dos juros nos Estados Unidos inalterada, e fizeram sua própria releitura do assunto.

Assim, o dólar disparou e tocou seu patamar máximo em um ano. Segundo o portal TradersClub, cada vez é mais palpável o sentimento de que o Banco Central deve intervir para evitar uma escalada pior do dólar, e cada vez mais analistas estão afirmando que a possível redução da Selic, esperada neste mês de maio, seja a última do ciclo de cortes da taxa básica de juros.

Estas foram as principais notícias desta semana. Ótimo final de semana e até a próxima sexta!

Veja Também