Semana em 1 Minuto Fechar

Planejamento Financeiro em 6 passos

23 de agosto de 2016 PatrimonoPatrimono

Planejamento Financeiro pode parecer complicado (porém, não é), mas os seus benefícios podem transformar a sua vida. Veja como simples dicas, se levadas a sério, podem corrigir seu caminho e fazer você alcançar aqueles sonhos que sempre teve.

Tudo na vida se resume a uma palavra: planejamento. Planejamos tudo que fazemos em nosso dia-a-dia: a melhor rota para o trabalho, o que iremos almoçar ou jantar, uma viagem ou a tão sonhada aposentadoria. Do mais simples ao mais arrojado, seus sonhos o acompanham e para conquistá-los é necessário planejar.

Neste artigo, abordaremos alguns passos importante que irão ajudá-lo a elaborar um bom planejamento financeiro.

1. Autoconvencimento

A primeira e uma das mais importantes etapas de um planejamento financeiro é quando a pessoa se dá conta da necessidade de um bom controle orçamentário, bem como investir da melhor maneira possível, a fim de atingir seus objetivos com maior assertividade.

Esta, que é, talvez, a etapa mais difícil, exige muitas vezes uma mudança radical no método de pensar e agir em relação às finanças. Somente após ter “comprado” a ideia é que podemos ir adiante.

2. Levantar dados

Neste momento, para aqueles que possuem um controle financeiro, será o mais fácil, pois consiste justamente em “planilhar” todas as informações de receitas e despesas.

Conhecer o problema é a melhor maneira de medicar. Por isso, ser o mais detalhista possível nesta etapa é de suma importância, sendo que, na maioria dos casos, os furos no orçamento ocorrem na somatória de pequenos gastos.

Elenque todas as suas fontes de receitas. Caso sejam variáveis, faça de forma anual; do contrário, mensal. As despesas devem ser alimentadas com disciplina, não podendo faltar coisa alguma. Para isso, utilize ferramentas que possam o auxiliar, como aplicativos no celular.

Feito isso, teremos um diagnóstico da saúde financeira. Caso esteja sobrando, veremos se está investindo de forma correta e na quantidade correta para seus objetivos; se faltando, é hora de rever o orçamento e descobrir o motivo.

3 – Traçar metas

As metas, além de nos darem um direcionamento, de modo que saibamos exatamente onde queremos chegar, também nos ajudam a manter a disciplina no dia-a-dia.

Estes objetivos devem ser estipulados e calculados com clareza. Importante é ser realista nesse momento, pois se você tem uma capacidade pequena de poupança mensal e almeja uma aposentadoria acima de seus padrões, deverá fazer um esforço ainda maior.

Utilize como parâmetro seu padrão de vida atual e quanto de dinheiro irá precisar para mantê-lo após se aposentar e quando isso deverá ocorrer. Assim, saberá quanto poupar por mês para esse sonho.

4 – Controlar excessos

Pessoas muito ricas raramente são as que mais esbanjam dinheiro: elas tendem a levar uma vida simples e “abaixo de seus padrões”. A dica é fazer o mesmo: usar o necessário, controlando excessos.

No seu levantamento de dados, caso esteja 100% comprometido, significa que há excessos e devem ser revistos. Isso não significa deixar de aproveitar a vida, mas, sim, aproveitá-la da forma que seu orçamento permite.

Seus gastos essenciais para manutenção do padrão de vida não podem ultrapassar 50% das suas receitas líquidas; os outros 50% devem ser divididos entre despesas supérfluas, lazer e reserva financeira. Este será definido de acordo com suas metas.

5 – Investir o que sobra

Outro processo que merece muita atenção é a forma como você irá investir seu dinheiro, afinal, esse será o veículo que o levará até os seus sonhos.

Faça aplicações com rendimento, no mínimo, superior a inflação. A poupança, por exemplo, é um investimento que nos últimos anos está perdendo. Para o curto prazo, a renda fixa, como o CDB, possui um rendimento superior e com a mesma segurança. Alguns fundos DI (com taxa de administração baixa) podem também ter um rendimento interessante para o curto prazo.

Para o longo prazo, um pouco de risco pode ajudá-lo a atingir os objetivos. O Tesouro Direto, principalmente atrelado à inflação, é bem interessante, assim como alguns fundos de ações bem administrados.

6 – Acompanhar os resultados

Fazer todo o processo não garante que você irá atingir seus objetivos. Seu planejamento deve ser revisto com frequência, assim como seus investimentos acompanhados de perto.

Sua situação financeira pode mudar, assim como o cenário econômico também. Faça ajustes sempre que necessário.

O passo mais importante: aprender com acompanhamento.

Pessoas que decidem investir reconhecem que conhecimento é importante para ter os melhores resultados. Algumas dessas pessoas procuram aprender o máximo antes de investir, mas como o fazem sem acompanhamento, acabam gastando muito mais tempo.


Veja Também