Você sempre pode investir melhor

Semana em 1 Minuto #28: Banco Central mantém taxa de juros; IPCA-15 tem maior alta em 23 anos; Tensões aumentam entre EUA e China e mais!

22 de junho de 2018 |

 

Se você preferir, pode ouvir este resumo em áudio aqui:

Além disso, você pode ouvir a Semana em 1 Minuto no seu leitor de podcast favorito. Basta procurar por “Patrimono TV” e assinar!

Banco Central mantém taxa de juros em 6,5% ao ano; IPCA-15 tem maior alta em 23 anos; Tensões aumentam entre EUA e China; e mais. Confira abaixo essas e outras notícias da semana:

Banco Central mantém taxa de juros em 6,5% ao ano pela segunda vez consecutiva –
A decisão, que já era amplamente esperada pelos economistas, foi tomada de forma unânime em reunião do Comitê de Política Monetária nesta semana. A Selic continua, portanto, no nível mais baixo da série histórica do Copom, iniciada há 22 anos. Em comunicado, o BC disse que a manutenção da taxa se deve à perspectiva de que a meta de inflação para 2018 seja cumprida. A expectativa do mercado é que a Selic permaneça igual até o fim do ano, mas que suba para 8% até o fim de 2019.

Câmara dos Deputados aprova permissão para Petrobras negociar áreas do pré-sal –
Por 217 votos a 57 contra e 4 abstenções, a Câmara dos Deputados aprovou nesta semana o texto-base do projeto de lei que permite que a Petrobras transfira para outras petroleiras até 70% dos direitos de exploração de áreas de petróleo do pré-sal concedidas pela União através do regime de cessão onerosa. No entanto, atendendo à pressão de parlamentares que querem votar requerimento de urgência do projeto que libera a venda direta do etanol hidratado das usinas para os postos de combustíveis, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, retirou a pauta de votação faltando três destaques. A votação da cessão onerosa deve ser retomada na próxima semana, mas a aprovação do texto-base e o agendamento do leilão excedente para 29 de novembro devem deixar o investidor mais confiante com a Petrobras.

Investimento direto estrangeiro cai 30% –
O Investimento Direto no País (IDP) tem queda de 30% nos primeiros quatro meses do ano em relação ao mesmo período do ano anterior. Segundo a Folha, os principais fatores que geraram tal resultado foi a reforma tributária nos EUA, aliada à economia nacional que cresce lentamente, por causa das eleições presidenciais, que derrubaram os investimentos estrangeiros produtivos em empresas no país.

EUA & China: Tensões Aumentam –
Após confirmação na sexta-feira passada de que os EUA aplicaria tarifas de 25% sobre US$50bi em importações Chinesas, a China anunciou tarifas retaliatórias de 25% sobre 545 categorias de produtos americanos, impactando US$34bi. Em discurso, o Ministro do Comercio Chinês alertou que todos os avanços previamente feitos em relação a acordos comerciais estavam sendo desfeitos. Apesar das tarifas impostas pelos EUA, o presidente americano, Donald Trump, ressaltou que ainda está aberto a negociações. A escalada das tensões comerciais preocupa os mercados à medida que traz riscos adicionais ao crescimento global.

IPCA-15 tem maior alta em 23 anos –
Os preços dos alimentos e dos combustíveis dispararam em junho mais do que o esperado como resultado da greve dos caminhoneiros, destacou o portal UOL, pressionando com força a prévia da inflação oficial do Brasil, com a maior alta para o mês em 23 anos. O IPCA-15, divulgado nesta semana pelo IBGE, avançou 1,11% em junho ante os 0,14% de maio. A equipe da XP revisou a expectativa do IPCA 2018 para 4,42%. Nas próximas semanas o Boletim Focus deverá subir as projeções de inflação, que atualmente estão em 3,88%, para algo próximo do centro da meta de 4,5%.

Câmbio –
Deve seguir queda do dólar americano no exterior, atuação de Banco Central com swaps cambiais e noticiário político-eleitoral.

Bolsa –
Pode melhorar com alívio no exterior, mas tende a oscilar após notícia negativa da Petrobras e preocupações com a política e eleição.

Estas foram as principais notícias desta semana. Ótimo final de semana e até a próxima sexta!

Veja Também