Você sempre pode investir melhor

Orçamento familiar: ajuste em 6 passos

9 de maio de 2016 |

O passo mais importante para atingir os seus objetivos financeiros é começar por entender para onde vai o seu dinheiro e com essa informação evitar perder controle de suas dívidas.

Você conhece pessoas que com um salário razoável conseguem aproveitar e fazer muita coisa no mês? Conhece também aquelas que tem um salário muito bom, porém vivem se apertando e pagando juros no banco?

O que diferencia essas pessoas com uma saúde financeira muito boa, dos outros que estão sempre enrolados com o cheque especial ou atolados em dívidas é, principalmente, o planejamento financeiro e fato de terem um orçamento familiar.

A capacidade de definir prioridades e sempre tentar dar o melhor uso para o próprio dinheiro fazem com que as pessoas tenham o suficiente para comprar o que realmente necessitam e consigam ainda poupar um pouco para tempos mais difíceis. Mas, como adequar o seu orçamento familiar?

Selecionei 6 passos para começar a colocar suas finanças em dia:

  1. Conscientização: a primeira etapa é convencer a si mesmo sobre a importância de colocar a casa em ordem. Se você quer realizar sonhos que dependem de sua capacidade de juntar dinheiro, então pare de acreditar que a Mega-Sena é a única solução e comece, aos poucos, a cortar gastos desnecessários;
  2. Defina seus objetivos: nessa etapa, é importante entender o que você precisa para ser feliz. Ninguém tem dinheiro para comprar tudo que vê na frente. Então, faça as suas escolhas. Defina seus objetivos de curto, médio e longo prazo, como, por exemplo, uma viagem de férias, um carro e um imóvel, respectivamente. Saber exatamente o que você quer vai ajudá-lo a ter força para economizar;
  3. Estude finanças: pessoas que sabem fazer contas estão menos suscetíveis a cair em armadilhas financeiras. Quem entende como funcionam os juros do cartão de crédito, por exemplo, nunca vai parcelar o pagamento de uma fatura porque sabe que as taxas cobradas pelo banco costumam ser abusivas, superando 200% ou 300% ao ano;
  4. Envolva a família: quem tem cônjuge ou filhos deve explicar para toda a família como é o processo de decisão financeira, quais os objetivos e o que é preciso ser feito para chegar lá. Para ser orçamento familiar precisa envolver a família! Quando a família toda participa e se engaja nos mesmos objetivos, fica muito mais fácil atingir as metas;
  5. Use os juros a seu favor: depois que você já tiver quitado todas a dívidas e começado a poupar algum dinheiro, invista com sabedoria. Conseguir a maior remuneração possível para seu dinheiro vai ajudá-lo a conquistar o que quer com menos sacrifício;
  6. Só compre o que está barato: seja na ida semanal ao supermercado ou na hora de fechar a aquisição de um imóvel para a família, só compre o que está barato. Sempre há coisas que estão com o preço justo. Então, dê preferência a elas e não se deixe seduzir por “oportunidades” de que não necessita.

Como vê, a lógica desse processo não é complicada. O mais difícil é manter a disciplina e as boas decisões até atingir as metas definidas. Para isso, procure criar momentos específicos durante o mês para discutir as finanças da sua família. Das primeiras vezes, pode ser uma conversa mais difícil, mas insista até que seja um tema comum e não uma fonte de estresse. A sua liberdade vale a pena.


Veja Também